Voto com arma e destruição de urna denunciados nas eleições


Por Redação

07/10/2018  às  18:01:57 | | views 83


divulgação

Todas as denúncias que marcaram o primeiro turno das eleições estão sendo apuradas nos tribunais regionais e também pela Polícia Federal


Além das prisões por boca de una, brigas entre militantes e compra de votos, o primeiro turno das eleições de 2018 foram marcados por dois acontecimentos inusitados. Em Santa Catarina, Um homem foi preso neste domingo ao destruir uma urna eletrônica com o uso de uma marreta na cidade de Morro da Fumaça, no sul do estado. Em outro caso, imagens de suportos eleitores do candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, aparecem em vídeos com armas ao lado de urnas eletrônicas. As imagens foram postadas em redes sociais e em grupos de WhatsApp.

 

Ambos os casos passaram a ser analisados pelo Tribunal Superior Eleitoal (TSE), juntamente com a Polícia Federal (PF) e Ministério Público. O objetivo, além de identificar e punir os autores é impedir que violações de regras na hora do voto voltem a acontecer em um18 segundo turno das eleições. Segundo informou a assessoria de imprensa do TSE, tanto a gravação quanto o porte de armas é proibido dentro das seções.

 

O veracidade do caso da exibição da arma na cabine de votação está sendo analisado. No entanto, o fato de a Justiça Eleitoral não fazer revista nos eleitores, sendo solicitado apenas que os pertences dos eleitores fiquem recolhidos com os mesários, existe a possibilidade do episódio ser verdadeiro. O procedimento de vistoria em cada cidadão não tem sido implementado por poder atrasar o andamento a fila.

 

Em um outro caso, que teve o vídeo também compartilhado pelas redes sociais, o nome de Fernando Haddad aparecia assim que era digitado o número 1, sugerindo que havia uma fraude na urna. Ao analisar o fato, o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) divulgou nota afirmando que a gravação era falsa.

 

Sobre a destruição da urna em Santa Catarina, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do estado, informou que as mídias não foram afetadas. Assim, os votos que haviam sido registrados antes da ocorrência não foram perdidos. A urna foi substituída por uma de contingência e a votação seguiu normalmente após a troca.



Comentários desta notícia 0



Comentários - ver todos os comentários


Seja o primeiro a comentar!

© Copyright 2002-2018 SEGNEWS - Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Rede SegComunicação. SEGNEWS e SEGWEB são marcas da BBVV Editora Ltda, devidamente registradas pelas normas do INPI — Instituto Nacional da Propriedade Industrial.