MP descarta envolvimento da polícia em chacina


Por Redação

07/11/2018  às  12:42:07 | Atualizado em 07/11/2018 - 12:45:49 | views 21



O inquérito investigava se policiais civis tinham alguma responsabilidade sobre os assassinatos, ocorridos em um baile funk durante uma operação na comunidade


O Ministério Público Estadual pediu à Justiça o arquivamento do processo relativo a oito mortes ocorridas em setembro do ano passado, no Complexo do Salgueiro em São Gonçalo. O inquérito investigava se policiais civis tinham alguma responsabilidade sobre os assassinatos, ocorridos em um baile funk durante uma operação na comunidade.

 

O MP abriu inquérito na época para investigar a conduta de agentes da Polícia Civil, mas acabou solicitando à Justiça o arquivamento do processo diante da falta de evidências.

 

Os parentes das vítimas declararam na época que o crime se tratava de uma chacina por parte das forças do estado, envolvendo a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil e o Exército. A conduta dos militares está a cargo do Ministério Público Militar.

 

A Polícia Civil confirmou que agentes estavam em operação na comunidade na hora do crime, mas o Ministério Público verificou que as balas utilizadas não partiram das armas dos policiais.

 

O MP aponta ainda que todos os agentes da Core e militares do Exército Brasileiro que estavam nos três blindados utilizados na ação foram ouvidos e todos negaram ter feito qualquer disparo. Além disso, testemunhas e demais vítimas relataram que os tiros partiram da mata e não dos camburões.

As investigações mostram ainda que não existem indícios de que o Complexo do Salgueiro tenha sofrido uma tentativa de invasão por parte de alguma facção criminosa no horário em questão. (Com Agência Brasil)



Comentários desta notícia 0



Comentários - ver todos os comentários


Seja o primeiro a comentar!

© Copyright 2002-2018 SEGNEWS - Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Rede SegComunicação. SEGNEWS e SEGWEB são marcas da BBVV Editora Ltda, devidamente registradas pelas normas do INPI — Instituto Nacional da Propriedade Industrial.